quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Dicas de turismo no Rio - Parte 3

Meus amigooooss! MRJ em dia de Amaury Jr.
No último episódio da série, falamos sobre o básico: Cristo, Pão de Açúcar e Zona Sul. Mas, se você estiver hospedado na Zona Sul, que tal se permitir ter uma chance de encontrar seus artistas preferidos ao vivo? Isso, claro, se você não cruzar com meia dúzia só na chegada ao aeroporto!

Em qualquer lugar do mundo, a regra é clara: quer ver seu artista de pertinho? Pague para assistir seu show ou peça teatral. Mas uma cidade como o Rio, apinhada de cantores/cantoras, atores/atrizes, jogadores de futebol e todo tipo de celebridades (mesmo as piores...) oferece ao turista a chance de encontrar seu ídolo passeando como uma pessoa normal, a qualquer hora do dia.

Para isso, você não precisa stalkear ninguém. Basta frequentar os mesmos lugares que as celebridades. A primeira dica que dou é o Shopping da Gávea, e a razão é óbvia: há 4 teatros neste shopping, e os atores e atrizes vivem por lá, em meio a ensaios e fazendo seu networking. Já perdi a conta de quanta gente famosa vi por lá. Da última vez, num sábado, vi Monique Evans e Taís Araújo (que estava com seu filho).

Qualquer hora do dia ou da noite é boa para ver artistas pelos corredores do shopping, mas eu apostaria que as chances são maiores de quinta a domingo, a partir do final da tarde, pois são os dias em que os teatros abrem. Já cruzei com Danielle Winits na escada rolante, já vi e ouvi o Ary Fontoura dando risadas no Beluga, flagrei o Moska com a família etc. Enfim, lá é point.

Trilha sonora adequada à leitura do post

No dia-a-dia, principalmente meio de semana, também é fácil encontrar celebridades como Carolina Dieckmann no Shopping Fashion Mall, no bairro de São Conrado, que ostenta uma das praias mais lindas e poluídas do Rio de Janeiro, por culpa da Favela da Rocinha, que ocupa os morros em frente à praia.

O bairro do Leblon também é bastante óbvio. Muita gente mora por ali - Ipanema, Leblon, Gávea - e aproveita a orla para fazer seus exercícios. Além da praia, você também tem suas chances aumentadas no Shopping Leblon, no Rio Design Leblon, em qualquer rua e qualquer restaurante, com destaques para o Sushi Leblon, a Pizzaria Guanabara, o bar Jobi e o restaurante Celeiro. Mas, de um modo geral, você é capaz de cruzar com qualquer famoso, a qualquer momento, em qualquer rua da Gávea, Leblon (e nos barzinhos do Baixo Gávea e Baixo Leblon) e Ipanema, inclusive na praia, seja no calçadão ou na areia.

Se você estiver hospedado na Zona Oeste - Barra da Tijuca ou Recreio dos Bandeirantes -, não fique triste, porque as celebridades também moram em frequentam aquele lado da cidade. Principalmente os jogadores de futebol, que parecem estar migrando em massa para a Barra.

O Village Mall (o shopping de luxo da cidade, caríssimo, assim como o Fashion Mall) é ponto certo para encontrar artistas, jogadores e celebridades em geral, assim como o Rio Design Barra, mas, assim como na Zona Sul, é muito fácil encontrar celebridades em qualquer shopping da Barra ou na praia, principalmente no Pepê.

Etiqueta

Digamos que você siga as dicas do Malcriado e encontre sua celebridade favorita. O que você vai fazer? Assustá-la com um grito visceral de 120 decibéis, enquanto grita o nome dela?

Pois é. temos que falar sobre etiqueta. O carioca - principalmente o carioca que mora perto das celebridades - é tão acostumado a ver pessoas famosas pela rua que já adotou um ar blasé, de quem tá pouco se lixando se a Juliana Paes está passando por ele.

Por isso, a não ser que você seja um(a) adolescente no cio, não faça escândalo. Veja se a pessoa está sozinha ou em família e pense: se você estivesse almoçando/jantando com sua família, gostaria que alguém interrompesse para pedir um autógrafo ou foto? Pois é. Tire suas selfies a distância segura ou fotografe de longe, mas procure não perturbar.

Outro dia desses, minha irmã me falou que estava na fila do cinema, num shopping da Barra, e, atrás dela, estavam simplesmente o Zico e sua mulher. Zico é ídolo do meu time, e eu adoraria ter o autógrafo dele, mas eu só pediria se o visse dando autógrafos ou tirando fotos, e se ele estivesse de bom humor (porque aí dá pra saber, seguramente, que a pessoa tá levando numa boa).

Em poucas palavras: pegue leve, não perturbe, sob pena de levar um esporro de pessoas mais grossas. Se você perdeu os posts anteriores, leia a parte 1 e a parte 2.

MRJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário