sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Dicas de Turismo no Rio - parte 2


Pão de Açúcar: nome doce, preços salgados
O Rio é uma das cidades turísticas mais conhecidas e visitadas do mundo, e costuma bombar mesmo no verão e Carnaval. Por isso, já lhes dei a dica, na parte 1, sobre evitar vir ao Rio no verão e no Carnaval. Mas se você vier ao Rio, em qualquer época, o que deve visitar?

OBS.: Para manter o texto fluido, vou inserir links. Se quiser saber mais sobre os itens, os links vão te dar as dicas de visitação.

O básico 

O circuito básico do turismo no Rio de Janeiro está na ponta da língua até de quem nunca veio: Pão de Açúcar, Corcovado (vulgo Cristo Redentor) e praias da Zona Sul (Copacabana e Ipanema, principalmente).

Copacabana é uma praia bonita, porém urbana. A maioria dos prédios é antiga, e é um bairro onde mora bastante gente idosa. Por ter prédios altos na orla, o sol acaba relativamente cedo, então, não espere ficar na praia até o pôr-do-sol. Só no verão, mesmo, porque os prédios projetam sua sombra sobre a areia. Dá pra dizer que Leme e Copa formam uma praia só, que começa e termina com fortes do Exército. No canto esquerdo, o Forte do Leme, e, cerca de 4 Km depois, no canto direito, o Forte de CopacabanaVeja foto das duas praias inteiras.

Eu diria que Copa é um bairro esquizofrênico. De dia, é um bairro turístico, voltado à praia, à venda de bugigangas turísticas a preços turísticos para turistas. À noite, tem feirinha e venda de bugigangas para turistas também, mas a coisa esquenta com as casas noturnas onde as ~primas~ são a atração. Se alguém te convidar para ir a casas como La Cicciolina, Barbarella e Erotika, esteja preparado com camisinhas e dinheiro. Bastante dinheiro.

A qualquer hora do dia ou da noite, não se espante se você estiver comendo num quiosque ou restaurante à beira-mar e aparecerem uns caras com cavaquinho, pandeiro e tan-tan fazendo um sambinha ao vivo. Isso é show de presepada para gringo ver. Para nós, cariocas, é uma perturbação, mas os gringos curtem, pagam e até postam no Youtube, fazer o quê?

Após o Forte de Copacabana, a pé, você atravessa o Parque Garota de Ipanema e chega na belíssima Praia do Arpoador. Só não vá cair na asneira de querer entrar em uma prainha que fica no cantinho esquerdo do Arpoador, chamada Praia do Diabo! Ela não tem este nome à toa: é brava e cheia de pedras. Só uma molecada costuma pegar onda por ali, e o povo leva os cachorros lá.

Seguindo a Praia do Arpoador pela faixa de areia, você chegará às praias de Ipanema e Leblon. No fundo, é a mesma praia, e, se você não conhece, vai achar que é uma coisa só. Geograficamente falando, a única coisa que dá uma pista de que Ipanema virou Leblon é o canal do Jardim de Alah, por onde a Lagoa Rodrigo de Freitas (para nós, íntimos, simplesmente "a Lagoa") faz sua comunicação com o mar.

Então, você já percebeu que dá pra conhecer Copacabana, Ipanema, Leblon e a Lagoa numa esticada só, se você estiver de carro ou até mesmo com as bicicletas do Itaú, se não estiver tão quente e você tiver um perfil um pouco mais atlético (ou se for muito pão-duro e tiver disposição!).

Estes são bairros mais residenciais, mas, mesmo assim, tem muito o que fazer. Teatros, lanchonetes, bons restaurantes, casas de show, puteiros, cinemas, shoppings, enfim, o céu - ou o inferninho - é o limite. Pesquisando, tem opções para todos os gostos e bolsos.

O Pão de Açúcar também fica na Zona Sul, no bairro da Urca, com entrada pela Praia Vermelha, e, se você vier de táxi de qualquer um dos aeroportos em direção, por exemplo, a Copacabana, irá vê-lo de perto, porque provavelmente passará pelo Aterro do Flamengo.

A visitação do Pão de Açúcar é bastante fácil, embora não seja barata (hoje, R$ 62,00 o preço cheio). Difícil, mesmo, é estacionar. Então, já sabe: vá de táxi, se for possível. Se estiver hospedado relativamente perto, pegue uma bike do Itaú. Aproveite para conhecer um pouco do entorno, no bairro da Urca (quem sabe você não vê o Roberto Carlos dando uma voltinha de Lamborghini?) ou dê uma esticada até Botafogo ou o Flamengo.

nem pense em mergulhar nas praias de Botafogo e Flamengo, pelo bem da sua saúde. Por mais clara que esteja a água, não faça isto, ou vai pegar (como dizemos aqui) uma ziquizira, que, de acordo com a sua sorte, pode variar de uma simples micose, passando por um bicho geográfico e chegando até a hepatite.

A visitação do Corcovado também pode ser feita a partir da Zona Sul, com opções de vans partindo de Copa, do Largo do Machado ou até da Estrada das Paineiras, que já fica no Parque da Tijuca (que vai ser assunto de outro post). Também existe a opção de subir de trenzinho.

Uma coisa curiosa que acabei de ver, pesquisando, é que a ida ao Corcovado de van fica mais barata do que visitar o Pão de Açúcar. Mas a vista do Corcovado é bem maior que a do Pão de Açúcar, e, inclusive, de lá se vê o próprio Pão de Açúcar! Tá com pouco tempo ou dinheiro e só tem como ir a um dos dois? Minha dica é: vá ao Cristo, sem dúvida!

Vista do Corcovado com direito à vista do Pão de Açúcar - pague 1, leve 2
Segurança

A questão da segurança na Zona Sul, como um todo, é complicada, mas nesta parte mais turística, você tem que estar de olho muito vivo, porque será uma vítima em potencial se não estiver atento.

Esteja atento a todos à sua volta, principalmente moleques em grupos, a pé ou de bicicleta. Atenção redobrada dentro do Parque Garota de Ipanema. Risco de assalto se estiver desatento. Quem anda desatento é vítima preferencial, porque eles roubam na mão grande e saem correndo. É difícil assalto com arma nessa área, mas, se acontecer, você entrega tudo, pelo amor de Deus! Ah, sim: Arpoador e Ipanema são zonas preferenciais de arrastão. Evite, se possível, ou vá e não leve muito dinheiro nem nada que possa ser roubado e lhe causar prejuízo.

No entorno do Pão de Açúcar e no Cristo, por serem áreas turísticas de acesso controlado, você pode relaxar.

Saúde

Não brinque com coisa séria: se vier no verão, use roupas leves, CAPRICHE no protetor solar e beba muito líquido, porque faz calor pra cacete.

Não seja você mesmo

Esta é uma dica meio estranha, que você não vai ler em nenhum blog sobre turismo, mas, como eu não trabalho com turismo, posso falar claramente: não seja você mesmo. Como assim, Malcriado? Simples: se você está em Roma, aja como os romanos.

Um exemplo: que me desculpem a Cersei e o Veritas, mas não tem nada mais ridículo do que ver gaúchos na praia, num calor de 40º, andando com uma garrafa térmica! Além de ser um mico King-Kong level - no modo hard -, ainda deixa bem claro para os assaltantes que você é de fora e provavelmente tem máquina fotográfica e dinheiro consigo.

Se, mesmo neste nosso clima de beira de vulcão, vocês, gaúchos, não podem deixar de tomar seu chimarrão, sério: não façam isso na praia. Aqui, o que vale é o mate gelado. De preferência, em parceria com o mítico Biscoito Globo.

Sem isso, sua experiência de praia no Rio é incompleta
O mate gelado é tão popular que já faz tempo que saiu da praia e ganhou as ruas, com franquias como Mega Matte ou Rei do Mate. Se você é mineiro, esqueça o pão de queijo. MENTIRA!!!! O carioca adora pão de queijo, que é parceiro certo do mate nas lojas que citei agora. E adora as mineirinhas também!

O calor também é responsável por outro grande sucesso carioca: as casas de sucos, que nada mais são que lanchonetes especializadas em sucos. E não se espante se você vir um carioca chegar e pedir um suco e um joelho. Joelho é um salgado enroladinho de presunto e queijo, que o povo de Niterói insiste em chamar pelo nome errado de italiano (esperar o quê de uma cidade onde todo mundo puxa os esses, porque metade da população é de São Fidélis, Sto. Antônio de Pádua e outras cidades fluminenses que são mais mineiras que outra coisa?).

Joelho - preferência de 10 entre 10 cariocas na lanchonete
Falando em mineirinhas e paulistinhas: não sejam vocês mesmas. Ir à praia com a cara mais pintada que uma palhaça só vai fazer as cariocas rirem de vocês! Não passem blush, rímel ou qualquer outra maquiagem, pelamordedeus! Na praia, só protetor solar. E não usem suas melhores roupas para ir ao shopping, com saltos altos de bico fino, como se fossem para um evento solene. Havaianas ou uma sandália rasteirinha tá bom demais, a qualquer hora do dia. Sério, confiem em mim. Guarde suas roupas para ir para as boates.

Se você tiver pouco tempo (1-2 dias), faça só isso, mesmo, pois é o básico. E, se der, procure conhecer o Centro - que será abordado num dos próximos posts.

E aí, estão ficando com água na boca?

MRJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário