domingo, 11 de janeiro de 2015

Analfabeto

Analfabeto nos dois sentidos (você entenderá ao final do texto!)

Esta não é minha. Era contada por um colega de escola, um bonitão padrão FIFA. Tão bonitão que atendia pelo singelo apelido de Caverna. Capitão Caverna. XD


Mesmo que a história não seja minha, vou contar em primeira pessoa, porque acho que fica mais divertido.

Verão no Rio. Domingo de sol. Adivinha pra onde nós vamos? 100% dos cariocas respondem "praia", inclusive a margem de erro do IBOPE, que também não costuma perder a sagrada praia do fim de semana.

Férias, Zona Sul, praia pra lá de lotada, muita gente na areia, gringos - e gringas! - pra todo lado e nós no meio. Molecada adolescente na praia, primeiro fim de semana de férias, só os amigos, todo mundo querendo beber, cair, levantar zoar muito para se vingar de um ano escolar puxado.

Já no final da tarde, alguém saca o kit de Frescobol e manda: "quem quer jogar"? 

(Spoiler: altos índices de sarcasmo neste prarágrafo!) Ora, por que não? Nada mais saudável e adequado para uma galera com muita cerveja na mente, e que pegou muito sol na moleira do que pegar em raquetes de madeira no meio do povão e acertar uma bolinha em alta velocidade. Não deve ser difícil. .

Nunca tinha visto ninguém jogar Frescobol em ziguezague. A bola saía de um lado e simplesmente teimava em não acertar a raquete do companheiro à frente. O que estaria errado? XD

Lá pelas tantas,  um dos moleques, já puto, conseguiu acertar a bola, mas deu um porradão que zuniu a bola longe, e pior: bem nas costas de um gringo. Sabe aquela gente branca que chega a brilhar no sol? Pois é. Era um desses.

O gringo coçou as costas, olhou em volta, pegou a bola e ficou olhando em volta. Enquanto isso, o outro moleque que estava jogando foi lá buscar a bola. Ficamos olhando o que pareceu uma discussão, e, no fim, o gringo jogou a bola de má vontade para o moleque e saiu, visivelmente puto, falando e gesticulando.

E volta o moleque, resmungando também. Todo mundo perguntando o que houve. Ele responde:

_Essas porras desses gringos são foda. Fui lá, na maior educação, pedi desculpas pela bolada, mas o cara ficou falando um monte de merda lá que eu não entendi nada. Pedi a bola, ele ficou lá gesticulando, começou a falar alto, me xingou dumas porras lá, falou pra caralho antes de me dar a bola.

_E você entendeu alguma coisa que ele falou?

_Eu, não. Falou um monte de merda lá.

_Então como vc sabe que ele te xingou, e não falou só alguma coisa do tipo "toma cuidado, moleque, podia ter machucado uma criança"?

_Ah, o fdp me xingou, isso eu tenho certeza. Vocês tinham que ver o tom do cara. Aquilo é xingamento, em qualquer língua.

_Mas você não entendeu nada?

_Porra nenhuma. Só agora no final é que o gringo falou um negócio lá, parecia que tava me chamando de analfabeto.

_Analfabeto?

_É, tipo assim: "seu analfabit".

_Son of a bitch?

_Saporra aí mesmo! Saporra aí! Tu sabe o que é? Que porra é essa?

Ano que vem, menos praia e mais estudo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário